Whatsapp

LGPD para disparo de release: você precisa prestar atenção!

Flávia Ivo | flavia.ivo@i-maxpr.com

Flávia Ivo | flavia.ivo@i-maxpr.com

07 de abril de 2021

Por que você precisa estar atento à LGPD para disparo de release? Como proteger dados em tempos de vazamentos e de vigência da Lei Geral de Proteção de Dados?

Em primeiro lugar, a segurança das informações, chamadas de “novo petróleo do mundo” por especialistas, entrou em uma fase singular com a chegada da Lei Geral de Proteção de Dados, que passou a valer no Brasil em setembro de 2020. Muitas agências de comunicação ainda não estão atentas, mas precisam, o quanto antes, abrir os olhos para coleta e tratamento de dados dos clientes feitos de forma correta. E também das próprias informações.

Mulher sorridente digita no computador
Jornalista tem o poder de realizar opt-in e opt-out dos mailings nos quais está inserido | 📷 gpointstudio/Freepik/Divulgação

Defesa do consumidor

A LGPD veio para regular a proteção aos direitos dos brasileiros às informações pessoais, além de delimitar regras para quem coleta e trata os registros. Nesse sentido, foi um aprimoramento substancial ao que já existia no Código de Defesa do Consumidor (1990) e no Marco Civil da Internet (2014), cuja fiscalização é feita pelo Procon.

Waldemar Gonçalves Júnior
“No século 21, dados são o novo petróleo”, afirma Waldemar Gonçalves, diretor-presidente da ANPD| 📷 Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/Divulgação

“Quando faço uma pesquisa na internet e olho um determinado produto, poucos segundos depois começa a surgir ‘do nada’ uma série de ofertas daquele produto. São empresas que comercializam essas informações e passam a ser extremamente valiosas. Esse é o nosso foco, essa proteção de dados”, observou à Agência Brasil, no início de 2021, Waldemar Gonçalves, diretor-presidente da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), órgão criado para fiscalizar e fazer cumprir a LGPD.

Na prática, a lei distingue o que são dados pessoais e sensíveis. Tais como os que podem identificar orientação sexual, bem como raça e religião, sendo o principal benefício a titularidade dos dados.

Ou seja, a empresa não é dona deles só porque você os compartilhou com ela.

Você pode estar se perguntando: o que uma agência de comunicação tem a ver com tudo isso? E a LGPD com o disparo de release? Tudo! Explicamos:

1) Envio de releases

De acordo com o artigo 6º da LGPD, a partir do momento da concessão do uso dos dados – no caso do jornalista que aceitou receber releases -, estes só poderão ser utilizados para o fim permitido. Isso vale para mailing, newsletter e lista de relacionamento.

Mailing de Imprensa I'Max

No I’Max, trabalhamos alinhados com a Lei Geral de Proteção de Dados e garantimos o cumprimento das regras tanto para quem faz parte do mailing quanto para quem contrata o serviço.

Mulher recebe encomenda, press kit
Para o envio de press kits a jornalistas, por exemplo, agências de comunicação precisam manipular dados considerados sensíveis | 📷 pch.vector/Freepik/Divulgação

2) Seedings e press kits

No escopo de trabalho de grandes players do ramo está, por exemplo, o levantamento de dados para seedings ou envio de press kits personalizados. Por isso, jornalistas e outros stakeholders devem ter acesso ao opt-in e opt-out.

É um diferencial mostrar aos clientes que sua agência possui fluxo automático e tecnológico para protegê-los dentro da lei. No I’Max, temos soluções como a LGPD Room, na qual é possível gerir o banco de dados e personalizar campos de validação, dentre outros.

Além disso, o portal da LGPD estará concatenado com o disparador de e-mails I’Max. Portanto, junto aos releases irá um link de moderação para o jornalista acessar diretamente seu perfil no ambiente exclusivo. Assim, a agência consegue controlar e analisar a fuga de pessoas dos mailings.

Proteção

Entendemos que aquelas agências de assessoria de imprensa e relações públicas que atuam em ações de marketing precisam auxiliar as empresas que atendem, no sentido de protegê-las, garantindo o sucesso do planejamento de comunicação.

O I’Max é o único fornecedor do mercado preparado para garantir tanto a segurança para a proteção dos dados inseridos pelos clientes quanto de um banco de dados com autorização expressa dos cadastrados, com os processos claros de moderação.

LGPD Room I'Max
Receba nossa newsletter